Valdemar Pacheco

Nome: Valdemar de Barros Pacheco

Naturalidade: Lordelo - Paredes

Data de Nascimento: 26 de Outubro de 1943

Posição: Defesa

Clubes Representados

Aliados Futebol Clube de Lordelo

Futebol Clube do Porto
Clube Futebol União de Lamas
Sporting Clube Espinho

Currículo / Palmarés

1 Taça de Portugal (F.C. Porto - 1967/1968)


 

Carreira e Curiosidades
Este antigo defesa do FC Porto foi o autor do primeiro golo na célebre final da Taça de Portugal 1967/68, que terminou com a vitória (2-1) do FC Porto sobre o Vit. Setúbal.
"Natural da freguesia de Lordelo e concelho de Paredes (Douro Litoral, distrito do Porto), Valdemar de Barros Pacheco nasceu a 26 de Outubro de 1943. Vindo, esse possante defesa, a fazer história no FC Porto com o célebre golo de livre directo que deu alento à vitória na Taça de Portugal em 1968.
Nos seus primeiros pontapés na bola, chegou a estar inscrito como júnior na equipa da sua terra, o Aliados de Lordelo, porém, não chegou a ser utilizado, indo depois treinar ao FC Porto, sendo logo convidado pelo técnico da categoria, Reboredo, a prender-se ao escalão jovem das Antas. E aí fez carreira, primeiro como júnior, onde depois de Reboredo conheceu também José Pedroto na sua formação, conseguindo seu primeiro título, de campeão regional, no caso (numa final com o Leixões, com resultado de 3-1, em que todos os “nossos” golos foram apontados pelo então colega Artur Jorge).
Esteve Valdemar então pré-convocado para a Selecção nacional de juniores (sabendo-se que eram tempos em que os do Norte tinham de ser muito superiores para terem hipóteses…), sendo apenas utilizado depois na selecção do Norte, em dois encontros com a congénere do Sul. Inclusive fez parte do lote dos convocados para a campanha de que resultou a vitória portuguesa no precursor do actual Europeu do respectivo escalão, o Torneio Internacional de Juniores da UEFA/61 (junto com Rui, Serafim e Faria, do FCP, dos quais tiveram utilização decisiva os dois primeiros). Até que então, em 1961, Valdemar ascendeu à categoria sénior, mas, devido à equipa estar aí bem servida no sector defensivo, passou duas épocas apenas na categoria de reservas. Indo por fim “rodar” para ganhar experiência, rumando então ao União de Lamas por empréstimo. Depois disso, regressou volvido um ano, em 1964, na entrada de Flávio Costa no comando da equipa principal portista. Contudo, a intromissão do serviço militar veio atrasar os intentos, motivando que só em 1965/66, novamente com Pedroto a treinador, se começasse a afirmar, nesse ano em que foi distinguido com o Prémio da Juventude, do jornal Mundo Desportivo.
Depois, em 1967, apareceu ainda com mais regularidade, a pontos de ter substituído Almeida na equipa titular, ficando lançado no primeiro plano do futebol azul e branco.
O seu maior triunfo seria a conquista da Taça de Portugal (depois de nas meias finais o FCP ter eliminado o Benfica de Eusébio e do império centralista do Terreiro do Paço), na final disputada no Jamor, em Oeiras, com o inesquecível triunfo de 2-1 diante do Setúbal, para cuja vitória Valdemar contribuiu decisivamente com o primeiro golo desse jogo disputado em Junho de 1968.
Valdemar, que na sua entrada no plantel, da sagrada camisola alvi-anil, nesse tempo de duas listas azuis, teve como colegas de retaguarda Américo, Rui, Domingos, Atraca, Paula, Almeida, Rolando, entre diversos mais e conhecendo de permeio ainda outros, como Bernardo da Velha, Sucena, Fernando, ainda teve a companhia de alguns desses em finais de carreira, havendo jogado até à década de 70, mais precisamente à época de 1972/73, tendo como colegas do sector recuado os guarda-redes Rui, Armando e Tibi, e os defesas Gualter, Rolando, Manhiça, Guedes, Rodolfo, Ronaldo e Raúl."
1977/78
A "equipa dourada" do Aliados de Lordelo, apurado para a Liguilha em 1977/78 (na disputa com o Académico de Viseu e o Juventude de Évora). Esta (magnífica) formação do Aliados ficaria a um passo da subida à I Divisão nacional.

Em cima: Pedro, Mendes, Eduardo, Valdemar, Gentil, Lamas, Simões
Em baixo: Regadas, Leandro, Jaime Pacheco, Brandão, Tony, Malheiro, Joaquim Teixeira, Aquiles, Melo

Outras lendas